Missão

A missão do Departamento de Matemática Aplicada e Estatística-SME é desenvolver e disseminar conhecimento de Matemática Aplicada e Estatística para o setor produtivo, governo e sociedade.

Formar, capacitar e treinar pesquisadores e profissionais para que se tornem lideranças no desenvolvimento e emprego da matemática aplicada e estatística, sendo capazes de contribuir para o desenvolvimento tecnológico, político e cultural da nação.

O SME tem como meta se tornar referência em termos de qualidade e modernidade no ensino e pesquisa da matemática aplicada e estatística. A demanda crescente de profissionais com formação sólida em matemática aplicada e estatística, nos mais variados setores da economia, exige a constante atualização dos conteúdos ministrados, a modernização das tecnologias utilizadas no ensino e a permanente capacitação do corpo docente. Garantir o atendimento de tais demandas fomentando ainda o empreendedorismo e a criatividade dos estudantes tem sido a proposta de nosso departamento. 


O SME em números

  • 06 Professores Titulares
  • 14 Professores Associados
  • 16 Professores Doutores
  • 03 Professores Colaboradores
  • 05 Funcionários Administrativos

 

Dados de 2015:

  • 66 alunos de doutorado
  • 42 alunos de mestrado
  • 18 alunos em IC ou TCC
  • 104 disciplinas de graduação
  • 031 disciplinas de pós-graduação
  • 16 tese de doutorado
  • 21 dissertações de mestrado
  • 11 pós-doutorados
  • 66 artigos em peródicos
  • 1100 citações
  • 19 bolsas de produtividade do CNPq

  


O SME em imagens


Histórico

 

O SME foi criado em outubro de 2005 devido à necessidade dos grupos de matemática computacional (análise numérica e otimização) e estatística de construir um ambiente propício para estimular iniciativas relativas à pesquisa nestas áreas.

Desta forma, no âmbito do ICMC, aos poucos se organizava a formação de alunos de graduação e pós-graduação com interesses em matemática aplicada e computacional e estatística. Uma das primeiras iniciativas com a criação do SME foi assumir a responsabilidade do curso de Bacharelado em Matemática Aplicada e Computação Científica-BMACC. Em seguida, assumiu a criação do curso de Bacharelado em Estatística, aprovado em 2007, iniciando efetivamente suas atividades com o primeiro vestibular em 2009.

Em 2011, o SME promoveu a criação do CeMEAI, Centro de Matemática e Estatística Aplicadas à Indústria, órgão do ICMC, integrando não só docentes do SME, mas também docentes de outros Departamentos do ICMC-USP. A ideia central deste Centro é realizar a tão almejada parceria com as indústrias e o setor privado, transferindo conhecimento e visando a geração de produtos para o mercado. A principal estratégia do Centro é a construção de uma infra-estrutura forte no que diz respeito aos recursos humanos, equipamentos computacionais avançados, oportunidades de colaboração e outras facilidades, a fim de promover a cooperação interdisciplinar com a indústria e, mais especificamente, com os setores de manufatura, governo e serviços.

Em novembro de 2013, foi implantado o programa de Mestrado Profissional em Matemática, Estatística e Computação Aplicados à Indústria (MECAI), novo programa de pós-graduação do ICMC, e o primeiro do país que mantém uma estreita relação com os setores produtivos da sociedade. Voltado para uma formação profissional que visa atender principalmente a demanda do mercado de trabalho na indústria, o MECAI busca a formação de recursos humanos altamente qualificados nas áreas de Matemática, Estatística e Computação Aplicadas ao setor produtivo, a fim de melhorar a competitividade nacional e internacional por meio do desenvolvimento de métodos inovadores.

Em 2013 foi criado também numa iniciativa conjunta com a UFSCar, o Programa Interinstitucional de Pós-Graduação em Estatística – PIPGES que visa juntar esforços de ambas as instituições para manter um Programa mais robusto e de mais alto nível. Em sua estrutura curricular o PIPGES visa uma formação acadêmica sólida para os profissionais da área de Estatística e tem recebido um número significativo de alunos que já são docentes em diversas Instituições de Ensino Superior (IES) do Brasil, de forma que a inserção social e a articulação com outras instituições tem sido intensa.

 

 

CONECTE-SE COM A GENTE
 

© 2017 Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação